0

Como fazer durar um relacionamento? 3 dicas que vão te ajudar!

Relacionamentos não são fáceis em nenhuma das suas mais variadas formas, mas vamos falar do “casal sério” em si.

Como fazer durar? Existem um sem número de “fórmulas mágicas” e truques na cama que toda revista feminina (e até masculina) tenta te convencer de que funciona e que aquela master posição de filme pornô vai fazer seu relacionamento durar pra sempre. Poderia até funcionar se você vivesse transando 24h por dia. Mas, como sabemos, a vida não é assim.

Até aqui passamos por algumas experiências muito boas juntos e outras nem tanto. Mas nada mais é do que convivência e o fato de cada um ser uma pessoa diferente (mesmo tendo gostos muito parecidos) e ter sido criado de forma diferente.

Viemos de relacionamentos que não deram certo e trouxemos deles, além dos medos, a certeza daquilo que não queríamos mais ou, então, queríamos fazer diferente. Ajudou muito e acredito que ainda vá nos ajudar bastante ter sempre em mente essas três dicas:

1 – Fale:

Não espere que o outro vá sempre entender todas as suas entrelinhas. Não estou falando de uma DR homérica a cada semana, mas de uma conversa franca, educada e adulta para resolver problemas e mau entendidos que forem surgindo pelo caminho. Principalmente as mulheres tem mania de achar que tudo que elas dizem está muito óbvio para o outro entender, mas nem sempre está. Se for necessário, desenhe. Quando seu interlocutor não te entende, nem sempre ele é o burro. Pode ser você quem não se comunica direito. Citei as mulheres como exemplo, mas a dica é para ambos os sexos.

2 – Ceda:

Ceder não te torna capacho do outro. Ceder implica muitas vezes em pensar no bem comum, abrir mão de algo pelo casal. Mas é bom lembrar que isso tem que ser uma via de mão dupla e para coisas coerentes. Ceder em certos momentos não é sinônimo da anular-se em função do outro, isso de maneira alguma é saudável e pode levar o relacionamento a terminar em muita mágoa.

3 – Desculpe-se:

Não é vergonha admitir um erro. Pelo contrário, acho que é um grande passo e melhora a qualidade de qualquer relação humana. Pense a respeito das suas atitudes e submeta-se a uma avaliação sincera de si mesmo. Encontrou seu erro? Então, vá e peça desculpas.

É claro que um relacionamento é feito de muito mais detalhes do que estes citados acima, mas se você colocá-los em prática a chance de melhora na vida a dois aumenta consideravelmente. Falamos por experiência própria! 😉

Falha na comunicação… Mas aí, também, né? XD

Fica a dica!

Anúncios
1

O romance sobrevive às quatro paredes? 3 dicas essenciais!

Morar com o namorado é uma delícia. Eu garanto! 😉

Planejar que móveis comprar, a comida que vão aprender juntos ou fazer um para o outro… É tudo novidade e é tudo muito bom.

Fora desses corações voadores que você deve ter imaginado aí, tem uma coisa que vem com a vida a dois que temos que estar cientes da existência. Chama-se cooperação mútua.

Sabe todas as coisas que você bagunçou, quebrou, comeu e estragou vida afora enquanto morou com seus pais? Elas foram pagas, arrumadas, ajeitadas por alguém. Em média, as famílias que estão a nossa volta tem três ou quatro integrantes. Considero bastante gente com quem dividir as coisas de casa, nem que seja um irmão pra jogar a culpa. Depois que você vai dividir a casa com seu amor, a responsabilidade tem que ficar entre seus comportamentos chave.

Ouso dizer que dividir a vida é um exercício de ética. Explico:

Quando você resolve dividir a vida com quem você ama, não é simplesmente pra transar loucamente sem risco de alguém entrar no quarto (tem isso também, mas não é tudo. rs), é um passo para uma suposta vida adulta e madura. Os dois tem que estar cientes de que devem dar suporte um ao outro em diversas áreas da vida quando necessário. Agora, atentem para uma coisa: Quando digo suporte não estou dizendo que é pra algum engraçadinho se jogar nas costas do outro e “fazer a galinha morta”, cagando para todas as responsabilidades assumidas. Além de um pé na bunda, é possível que você ganhe também um inimigo. Se seus pais te criaram assim, melhor voltar pra baixo da asa deles, pois provavelmente são os únicos que vão te aturar.

Esta é sobre o dia dos namorados, mas imagina isso todo o dia! XP

Mais uma vez, a conversa franca é a chave. Antes de darem esse passo é preciso que os dois saibam das realidades financeiras de cada um, das expectativas e o papel dos dois na relação. Segue uma lista de pontos do que consideramos e sugerimos antes de juntar os controles de vídeo game trapinhos.

1 – Transparência financeira:

Muito importante mesmo antes de se mudarem. É necessário saber quanto cada um pode contribuir para a manutenção da casa e da vida a dois. É claro que é importante também pensar nos pequenos gastos pessoais que todos temos. Com contas feitas e ambos de acordo, fica mais fácil levar adiante. Não faça extravagâncias escondido do outro que possam colocar a situação financeira de ambos em risco. Lembre-se, você não está mais sozinho e pensar no outro é fundamental.

2 – Responsabilidade mútua:

Se vocês foram morar juntos e são um casal, podem não ter o título de casados, papel assinado e essas convenções, mas acreditamos que manutenção do relacionamento se dá pela assistência que um deve dar ao outro. Não dá pra simplesmente agir como se a pessoa fosse uma completa estranha quando a coisa aperta e fingir que não é com você. Vocês entraram nessa juntos. Todo mundo precisa se sentir seguro, sentir que não está sozinho no barco.

3 – Entender que a casa é dos dois e os dois precisam colaborar com seu funcionamento:

As coisas não precisam estar divididinhas ali no fifty-fifty, este é um acerto de cada um, mas é necessário haver uma divisão para que ninguém saia ou se sinta sobrecarregado. Exemplo: Eu tenho mais experiência em cozinhar que o Daniel, então naturalmente faço mais coisas na cozinha, em contrapartida ele assume uma tarefa da casa que eu abomino, que é tirar pó dos móveis. *Foda é que agora ele está começando a se virar direitinho na cozinha e eu continuo odiando tirar pó… #comolidar

Mas entenderam? A cooperação é mútua e isso vale para tudo.

Morar junto é uma delícia, mas todos precisamos nos adaptar e cooperar pra fazer dar certo. Dá um pouquinho de trabalho, mas é perfeitamente possível fazer dar certo.

Fica a dica!

0

Fonte de música nada convencional

Tirinha do ótimo Will Leite, do site Will Tirando

Bom, por aqui nós gostamos bastante de música. A maioria de nós teve o primeiro contato com a música em casa, com seus pais. Depois disso vem as MTV e Multishows da vida e depois da internet, o céu é o limite. Mas eu (Carol) sempre tive uma forma muito peculiar de conhecer músicas novas: Comerciais de TV. É sério, eu sempre assisti muuuuuita TV desde pequena e estava lá paradinha quando começava aquela propaganda esperta e com músicas bem legais e eu prestava muita atenção à trilha sonora, o problema é que ficava mega frustrada por que não tinha como saber de onde vinha a tal da música e nem quem era o cantor/banda. Às vezes eu dava sorte e ouvia no rádio, mas não era sempre.

Depois da internet toda vez que uma música me chamava atenção num comercial, eu corro pra procurar de onde é. Já me surpreendi por serem de bandas/cantores já conhecidos, outras vezes tive o prazer de descobrir novas influências musicais e artista por causa daquela inserção na propaganda.

Acho bem válido prestar atenção aos comerciais e suas trilhas, músicas e/ou bandas muito boas podem ser descobertas assim. Nada de errado no bom e velho site de música que você já conhece, mas sair do lugar comum pode te surpreender!

Nessas procuras pela origem das trilhas, encontrei o site Musicopéia. É fantástico e reúne as trilhas de comerciais, novelas, filmes e séries. Recomendo muito.

Seguem alguns comerciais que curti muito e as músicas que descobri com eles!

Comercial do perfume CH – Carolina Herrera:

Música: I’m a terrrble person – Banda: Rooney

Comercial do tênis Olympikus Tube 2012:

Música: Drving – Banda: Setting Sun

Comercial Ford Eco Sport – Seu mundo ficou maior:

Música: Revelation Blues – Banda: The Tallest Man on Earth

E esses são só alguns. Busque novas fontes, boas surpresas não faltam! 😉

Fica a dica!

0

Novo RPG da… Ubisoft? o_O – Child of Light

Já falei que gosto de jogos da Ubisoft? Eles tem alguns bugs bizarros, às vezes,mas são diversão pura!

E eis que, surpresa, eles vão lançar um RPG de turno! 😀 Conheça Child of Light:

Dá uma olhada básica no trailer:

E uma entrevista do site Gamespot com o roteirista do jogo Jeffrey Yohalem:

Bonito, trilha sonora aparenta cativar, RPG de turno, ganho de experiência, história aparenta ser legal… E aí, quer pagar quanto? 😉

Sai em 2014 para a maioria das plataformas, PCs inclusos. Vamos acompanhando!

Fica a dica!

2

5 medos que toda madrasta tem!

Antes de entrar de cabeça em uma relação com um homem que já tem filhos de outro relacionamento, as futuras madrastas tem alguns medinhos básicos e não tem nada de errado nisso (falo por experiência). Medo te faz avaliar toda a situação e torna seu julgamento mais crítico, não passa do nosso puro e simples mecanismo de defesa.

Vou comentar cinco, só pra gente começar a brincar:

1- E se no meio do caminho ele decide voltar pra ex?

Não é um medo  bobo. A proximidade que os nossos amores precisam manter com suas ex por conta da criação dos filhos gera essa insegurança e incerteza. Se a exu ex dá indícios de querer reatar o romance, então… Aí é que as madrastas piram! O cara não pode se afastar da situação pois tem um filho pra criar, então a solução é uma conversa franca com a madrasta para deixá-la mais segura e não manter contato com a fulana que quer um revival a não ser que seja estritamente em relação ao rebento.

2 – E se a família não me aceitar?

Acontece. Infelizmente é mais comum do que se pensa. As pessoas se acostumam umas com as outras e quando há uma criança no meio, as famílias tendem a torcer para que o relacionamento seja eterno, sem se preocupar se os diretamente envolvidos estão felizes. Quando a madrasta chega, algumas famílias tendem a ser hostis e fazer questão de repetir o nome da ex a todo instante e deixar claro o quanto gostavam dela. Isso é um erro grave, pois pode ditar todo o tom do relacionamento da nova namorada/esposa com a família do namorado/marido. A mulher fica magoada (óbvio) e depois a família diz não saber a  razão dela ser distante do convívio familiar e limitar-se a aparecer apenas quando é inevitável. O que se pode fazer nesses casos é ser sempre educada, não aceitar provocações e se não se sentir bem em algum ambiente, é melhor não ir. Ah! Pode parecer difícil nessas horas, mas não fique falando mal dos familiares do seu amor pra ele. Pode magoá-lo também. Se algo muito ruim acontecer, converse numa boa e explique seu ponto de vista.

3 – E se as crianças não gostarem de mim?

Isso é bem difícil de acontecer, pelo menos com os mais novos. Quando acontece de verdade, na maioria das vezes a criança está sendo influenciada por alguém. Pode ser a mãe ou mesmo os avós maternos que, inconformados com o fim do relacionamento e guiados por um ciúme besta, tentam fazer com que a criança odeie a madrasta. Se esses fatores não influenciarem e você tratar a criança bem, certamente ela vai gostar de você.

4 – Meu marido fará diferença entre o primeiro e o segundo filho?

Isso é um pesadelo no imaginário das madrasta, pois todas as pessoas tendem a alardear que o primeiro filho é sempre mais especial, mas isso, mais aquilo e por aí vai… O que a madrasta teme é que o homem (que normalmente não é muito emotivo), não vá dar muita bola pro nascimento do filho que terá com ela, por se tratar de seu segundo filho. Se essa é uma dúvida que você tem, deve compartilhá-la com seu companheiro e saber o que ele pensa. Falar de sentimentos pode ser complicado, ainda mais neste tema, mas eu sempre acho que conversa franca esclarece dúvidas. Não importa o tamanho.

5 – O que minha família e amigos irão pensar da minha relação?

Passa pela cabeça de todas nós. É bem chato (ou frustrante) quando você vai toda empolgada dar a notícia de um novo namoro e logo depois conta que fulano “vem com bagagem” e aí vê toda a empolgação dos amigos e parentes desaparecer. Em resumo, nos sentimos como se estivéssemos entrando numa grande furada mas ninguém tem cara de chegar e falar. Não tem muito o que fazer. O jeito é encarar o comportamento das pessoas como uma demonstração de carinho e receio de que você se machuque em uma situação complicada. Mas não deixa de ser chato, né?

Esses são alguns dos medos e situações pelos quais passei na minha vida de madrasta (e ouvi relatos de amigas na mesma condição). É punk e quem não é madrasta não entende muito, mas ajuda conversar com o parceiro e chegar a respostas que deem alívio. Tem também a dica clássica: Equilíbrio e conversa franca! É o melhor em qualquer situação. 😉

Fica a dica!

0

12 dicas para planejar uma viagem

Que viajar é muito bom é quase senso comum (conheço poucas pessoas que não curtem), mas exige algum nível de planejamento, caso contrário você pode acabar numa roubada, seja por falta de grana ou por se colocar em riscos aleatórios. Pensando nas nossas conversas com amigos sobre viagens e nas nossas próprias experiências, decidimos falar um pouco sobre o assunto.

Nós deixamos de buscar agências de viagens e hotéis em sites tradicionais quando nos deparamos com uma enorme dificuldade para encontrar um local para hospedagem em uma viagem a Teresópolis. Nós simplesmente não encontrávamos nada ou, quando encontrávamos, era tão caro e longe de onde queríamos ficar que não valia a pena. Foi então que tivemos a ideia de utilizar as vantagens do Google Maps para nos ajudar.

Nós viajamos para conhecer a cervejaria St. Gallen; Localizamos a mesma no mapa e começamos a procurar no olho mesmo as pousadas e hotéis próximos. Funcionou! Entramos em contato com alguns lugares e elegemos a Pousada Chamonix como hospedagem. Desde então fazemos isso quando vamos viajar e tem dado certo. Saiu mais barato e foi bem mais fácil.

Dicas importantes:

1 – Trace um ponto de partida a partir do lugar que você vai se hospedar ou visitar e monte seu roteiro;

2 – Quando for tratar com o hotel, confirme se tudo que o site diz está mesmo incluído. Pode parecer óbvio, mas perguntamos assim mesmo para não ter surpresas desagradáveis;

3 – Leia classificações de outras pessoas que já se hospedaram no local. Sempre tem disponível na internet e te ajuda e se livrar de umas furadas;

4 – Faça um roteiro. Pesquise tudo que a sua cidade de destino oferece em termos de comida, lazer e entretenimento;

5 – Através do Google Maps, trace os roteiros de saída e chegada do aeroporto/rodoviária para o hotel e vice-versa. Faça isso também com os pontos que irá visitar e o hotel;

6 – Procure números de serviço de táxi;

7 – Anote o telefone do hotel. É bom ter em caso de emergência;

8 – Imprima os mapas com roteiros e trajetos – Pode não parecer, mas ajuda muito;

9 – Preste atenção no policiamento;

10 – Na dúvida, peça informação em pontos como bancas de jornal, chaveiro, posto de polícia e no próprio hotel. Evite pedir informação ou deixar um estranho saber que você não conhece o lugar. Alguém mal intencionado pode se aproveitar disso;

11 – Conheça as opções de transporte público e seus horários de funcionamento;

12 – Pegue mapas da cidade. O metrô de São Paulo, por exemplo, disponibiliza um mapa muito útil das suas linhas e integrações, além de um com pontos turísticos próximos.

E um site com umas dicas básicas: Dicas de viagem do UOL Viagem (Mas o melhor ainda é procurar por você mesmo).

Agora, viaje bastante e nos dê as suas dicas de viagem! 😉

Fica a dica!

0

Taxi fácil? Vá de Easy Táxi!

Tentar encontrar um táxi no meio da rua é uma situação que a maioria das pessoas que conhecemos já viveu (e sofreu).

Como essa dificuldade parece ser quase um senso comum, alguém pensou em melhorar a forma como chamamos um táxi sem terminar nas infindáveis listas de espera das cooperativas, onde uma mocinha fala: “Senhor, ainda não temos previsão de carro para o seu chamado” e você fica com cara de tacho esperando.

Uma solução é o aplicativo para celular da Easy Táxi.

Ótimo aplicativo!

Conhecemos o serviço através de um compartilhamento via Facebook e baixamos o aplicativo. No fim de semana passado precisamos chamar um táxi para uma amiga que estava na nossa casa. O aplicativo funcionou perfeitamente bem; Em questão de pouquíssimos minutos obtivemos resposta e o táxi estava esperando em frente ao prédio.

A nós pareceu muito bem eficiente. Esperamos que as próximas sejam tão exatas quanto a primeira! 🙂

Link no Google Play aqui e no Apple Store aqui.

Fica a dica!