0

Quando a Madrasta se desconecta: Motivos e o que fazer quando acontece

Existe um momento pelo qual algumas madrastas passam  que chamo de desconexão. A palavra já diz tudo. Isso acontece quando a madrasta se mantém afastadas dos assuntos ligados aos enteados e das coisas que os cercam.

Existem muito motivos que levam a essa fase, pois as madrastas vivem situações muito delicadas no trato com os filhos alheios. Para exemplificar vou citar alguns motivos clássicos:

1 – Alienação parental

Sim, a madrasta também sofre com isso, pois se a mãe da criança pratica toda a família do pai acaba envolvida de alguma forma e como a madrasta é quem está ao lado do pai sempre, acaba sendo “respingada” pela prática. A coisa piora quando os ataques e mentiras contados pela mãe são direcionados a madrasta.

2 – Pai que não educa

Pode ser pela criação diferente, porque o pai sente pena e culpa por não morar com o filho ou simplesmente porque tem preguiça de educar. Seja qual for o motivo, o pai que não educa seu filho acaba gerando muitos problemas, pois grande parte das madrastas que conheço reclama disso. O pai que não dá limites, não ensina a respeitar e nem mesmo dá a educação básica. E convenhamos, conviver com um ser humano mal educado é uó, se não é seu filho, então, fudeu. E não por implicância. Como não é filho da madrasta, ela fica muito limitada na hora de educar ou ajudar na educação dos enteados. Então se o pai não faz e a madrasta acha um absurdo, está gerado o problema.

3 – Criança que rejeita a madrasta

A maioria das vezes que isso acontece é porque o problema começou com o primeiro tópico que citei. Se a madrasta tenta educar e a criança não recebe educação dos pais, isso também pode fazer com que seja mal interpretada pelo enteado e taxada de chata.

Esses são alguns dos motivos mais comuns e que, depois de um tempo, fazem com que a própria madrasta não se interesse mais por nada que cerca a vida dos enteados. Não que os queira mal, mas já está cansada de dar murro em ponta de faca.

Se você é madrasta e isso está acontecendo com você saiba que você não é má, não é louca e provavelmente não deixou de amar seu marido e enteado (s), você pode simplesmente estar cansada e é perfeitamente normal devido as circunstâncias. Tente reconectar-se com o cuidado com o enteado. Não precisa assumir nada que não queira. Programe passeios ou até mesmo faça alguma coisa só você e a criança/adolescente. Com calma mesmo e sem se cobrar muito.

Com calma, paciência e amor, dá certo! 🙂

Se você é o marido/pai, entenda a madrasta. Leia os itens acima, analise como tem sido as coisas na rotina de vocês. Coloque-se no lugar da madrasta (e não contra ela) e tente também restabelecer essa ligação. Você é parte fundamental nisso.

Sempre recomendo uma conversa franca e respeitosa de ambas as partes como forma de solucionar problemas. Serve no relacionamento como casal e para casos assim também.

Fica a dica!

Anúncios
8

The Beer House Experience: O TOP da experiência cervejeira!

Chegou a hora de falar de coisa boa, vamos falar de Tekpix a nossa melhor experiência cervejeira em Buenos Aires!

Saímos do Brasil sabendo da existência de um lugar com “rodízio” de cerveja na capital argentina e em posse desta informação, foi uma das poucas atividades que pré-agendamos.

O The Beer House Experience é um local onde pode-se apreciar sete tipos de cervejas artesanais e uma refeição completa contendo entrada, prato principal e sobremesa (sem contar os pãezinhos de cevada levados logo no começo pra beliscar), todos devidamente harmonizados (e a maioria com algum ingrediente relacionado a cerveja na receita) por aproximadamente R$ 50 por pessoa. O local exige agendamento prévio, funcionando de quinta à sábado, de 20h às 1h.

Entrada da Beer House, bem pequena, quase que a gente passa!

Fomos recebidos em um charmoso sobrado no bairro San Telmo, pelo proprietário e mestre cervejeiro do local. Ele nos levou até a mesa e em seguida até as torneiras de cerveja para  apresentá-las e mostrar como tirá-las corretamente. A partir daí era só levantar e se servir sempre que tivéssemos vontade. O cardápio oferecia três opções de entrada e prato principal (fora as pizzas) e duas de sobremesa para escolher.

Aqui tem seis, mais uma no outro canto do ambiente! todas eram ótimas, um rodízio de cerveja de verdade!

Nosso belisquete de cevada e nossa primeira cerveja da noite! 🙂

Um de nossos jantares, Um taco de carne de porco com ingrediente de cerveja na massa + guacamole pra acompanhar!

Nosso “Birramisu”, um tiramisu na cerveja! 😀

Dica: se for em casal (ou com um ou mais amigos), combinem de pedir cada um uma comida diferente para provarem tudo que puderem! Ainda queríamos experimentar a pizza, que estava com uma cara ótima nas outras mesas, mas já estávamos super cheios! Ficou pra próxima vez que voltarmos!

Não houve o que reclamar, desde a comida, a ótima cerveja, passando pelo local muito bem decorado, a boa música ambiente argentina e o atendimento com toque pessoal e acolhedor, tudo estava excelente. Não pense que pelo clima de bebida liberada a coisa é uma bagunça. Pelo contrário, as pessoas presentes no mesmo dia que nós eram muito bem educadas e comportadas. Ninguém dando vexame ou coisa parecida. No máximo, ficando meio altinhas! 😉

Sem dúvida será um programa certo para visitar em Buenos Aires!

Relax and have a beer! 😉

Fica a dica!

0

Camping Beer Garden – Um charmoso quiosque a ser visitado!

No nosso penúltimo dia em Buenos Aires, voltamos ao Buenos Aires Design Center para um almoço tardio no Hard Rock Café. O local é ótimo e abriga lojas e quiosques interessantes. Nesta segunda visita conhecemos o Camping Beer Garden, que deixamos passar batido da primeira vez que passeamos por lá.

É um lindo quiosque com muitas plantas dentro e ao redor envolto por várias portas de vidro, com ares de estufa. Próximas ao local ficam mesas e bancos de piquenique para que os clientes se sentem e apreciem o que é servido no local.

Camping 001 – Primeiro modelo do projeto, que pode ser instalado em qualquer parte do mundo!

Logo vimos que eles possuíam dois tipos de cerveja artesanal e ficamos bem interessados. Pedimos duas que vieram acompanhadas por dois choclos! Detalhe: Os espertos aqui acharam que era chocolate, por conta da temperatura baixa e talz… Assim que chegaram descobrimos que era milho cozido! RS! #sabedenadainocente

O choclo tava gostoso! 🙂 E as cervejas, uma scottish ale e uma Pale Ale, ótimas!

OBS: E pipoca é pochoclo! 😉

A duas cervejas são muito boas e mereceram ser apreciadas mesmo no frio cortante que fazia em Buenos Aires! A microcervejaria que as produz é a Siete Colores (No local não tinha, mas descobrimos que ela ainda tem uma Stout).

Uma curiosidade do local é que eles tem wi-fi disponível para o clientes (até aí, tudo normal), mas através dele é possível que os clientes acessem o site (http://www.campingba.com/) do quiosque e escolham as músicas que tocam no ambiente. Achamos bem legal e conseguimos escolher (por três músicas) a trilha sonora da descoberta cervejeira! 😀

Além do ambiente, comida e cerveja, gostamos também da iniciativa de usarem descartáveis. Há também um recado nas mesas pedindo que os clientes devolvam os utensílios no balcão ao final da utilização. Seria bom se mais locais adotassem as práticas.

Não deixe de visitar se estiver dando um rolé pela Recoleta. Pode ser logo depois de visitar o famoso cemitério do bairro. 😉

O Camping Beer Garden fica na Av. Pueyrredon 2501, Recoleta – 1114 Buenos Aires (Na área externa do BA Design).

 Fica a dica!

2

5 passos para destralhar sua casa

Olá!

Vamos te dar uma dica básica, simples e barata para levar uma vida melhor: Destralhe a sua casa e sua rotina!

Por Jean Galvão - http://jeangalvao.blogspot.com/

Por Jean Galvão – http://jeangalvao.blogspot.com/

1 – Abra os armários, retire tudo que tem dentro e faça um inventário do que você usa, do que não usa, o que serve pra você, para outras pessoas e o que não serve pra ninguém;

2 – Desapegue! Quando fizer o inventário que citamos acima, veja as coisas de que realmente precisa e as coisas que só estão lá por que você acha que vai usar um dia! Se faz um ano que você não vê uma peça de roupa ou acessório (por exemplo) é por que não precisa dele. Encontre um melhor destino para o objeto e ganhe mais espaço no seu armário;

3 – Doe! Doar coisas que não servem mais fazem bem para você e para quem recebe. Faz com que outras pessoas não precisem gastar o dinheiro que não tem em coisas necessárias como roupas / brinquedos/ utensílios de casa, mas que você pode doar e não te fará falta;

4 – Recicle! Dos materiais que você desentocou das gavetas, veja se podem ser reaproveitados dentro da sua casa, senão encaminhe o que der para a reciclagem;

5 – Jogue fora! Não estamos te encorajando a fazer uma fogueira e queimar tudo que é seu. Mas pense, se não tem utilidade para você, mais ninguém, nem dá pra reciclar, qual a razão de guardar? Se puder, jogue fora sem medo. A sensação estranha que temos quando jogamos algo fora passa rápido, você vai ver! 😉

Este post é baseado em uma grande arrumação que estamos fazendo em casa, colocando em prática justamente estes passos. É um exercício que vale a pena. A casa está ficando mais organizada e limpa e com isso temos mais facilidade em mantê-la assim!

Fica a dica!

2

Cervejas do meu mundo afora: St. Gallen Pepper Ale – O chopp apimentado de inverno!

Durante uma visita rápida a Teresópolis pós-Bauernfest deste ano, estivemos na St. Gallen, lugar que gostamos tanto na nossa primeira estadia na cidade!

Infelizmente, a visita deste dia foi atrapalhada, diferente das nossas experiências anteriores. Uma pena. Provamos um pato com batata rosti, estava bem gostoso, mas demorou uma vida pra chegar a mesa! E ainda veio frio da primeira vez! ¬______¬

Enquanto esperávamos o garçom matar o pato, depenar, trazer pro restaurante e aí então cozinhar trazer nossa comida, pegamos a famosa bota, com a cerveja  de trigo deles! Muito maneira e tranquila de beber! 😀

1 litro de puro estilo alemão!

Mais de DUAS HORAS DEPOIS, eis que, finalmente, chegou nosso almoço:

Tava bonito, cheiroso e gostoso, mas demorou muito e o atendimento foi meio enrolado dessa vez, infelizmente…

Mas nem tudo foi estresse e conseguimos provar o chopp de inverno St. Gallen Pepper Ale, que contém pimenta, como já sugere o nome. A bebida é muito boa e o sabor apimentado é bem evidente, mas é muito bom ao paladar. A ideia era criar um chope que esquentasse os dias frios de inverno na serra e conseguiram. Os menos acostumados podem sentir rapidamente os efeitos dos 7% de teor alcoólico, mas nada alarmante. Basta seguir o roteiro e não misturar direção e álcool. 😉

Para aquecer a garganta e os nossos corações! S2

Para aquecer a garganta e os nossos corações! S2

Os preços atuais são:

Copo 200 ml – R$ 9 / Copo 400 ml – R$ 15 / Bota 1L – R$ 35

De sobremesa, para complementar a experiência, ainda provamos dois ótimos sorvetes de cerveja, fruto da parceria da cervejaria com a Sorvete Brasil:

Sabores Imperial Stout e Rubine – O primeiro, um pouco amargo como o estilo e o segundo com um toque delicinha de ruiva!

Se for a Teresópolis neste inverno, não deixe de apreciar estas iguarias cervejeiras! 🙂

OBS: E se puder, conheça também o excelente Chopp Daserra!

Fica a dica!

3

Cervejas do meu mundo afora: (Algumas) Cervejas do Uruguai

Embora tenhamos passado apenas um dia em Colônia, foi um dia produtivo nas descobertas cervejeiras, como o da cervejaria uruguaia Barbot. Assim como fizemos com o post das cervejas que encontramos em Buenos Aires, segue um compilado dos rótulos encontrados na terra do Mujica.

O destaque fica para as três Mastras que provamos no restaurante do nosso almoço. Destas, duas são tão boas que figuram atualmente na lista das que gostamos muito entre as que experimentamos nessa vida! A cervejaria fica em Montevidéu, local que esperamos conhecer em breve. A American Stout é o padrão comum de boas cervejas do estilo, mas nada especial. Agora, sem palavras pra descrever o quanto a Golden Ale e a Scottish Ale são deliciosas!

Sem sacanagem, estas cervejas são EXTREMAMENTE GOSTOSAS!

No mesmo restaurante provamos a Grolsh, que também é muito boa e parece bastante com duas representantes da República Tcheca que já bebemos.

Mais comum, mas bem gostosinha, American Stout da Mastra e a Grolsh, uma lager com gosto marcante!

Detalhe: Desconfiamos levemente que a Pilsen (cervejaria, não o estilo de cerveja) e a Quilmes pertençam ao mesmo dono. Deduzimos isso pois em Buenos Aires provamos diversas Quilmes e em Colônia, a Pilsen curiosamente possui uma gama de cervejas e estilos muito próxima da concorrente argentina. Como os países cultivam uma certa rivalidade, se nossas suspeitas forem reais, foi uma boa estratégia para não perder o público dos dois países.

Fiquem com as cervejas:

Pilsen Sonic – Feita com a técnica de dry hopping, delicinha!

Zillertal – Estilo parecido com a Grolsh, por sinal, similar a outras duas tchecas que tomamos

Pilsen 7 Grados – Te lembra alguma? **cough, Quilmes Night 6.9, cough**

Patricia versão Dunkel! Nada muito espetacular, mas pra provar uma que não vemos no RJ, tá valendo! 😉

Pilsen Ambar – Daquelas red ales que você passaria uma noite inteira tomando de boa com os amigos!

Em um mercado uruguaio – A variedade não era tanta quanto a dos argentinos, mas tinha o suficiente para nos entreter pelo dia! 😀

Fica a dica!

0

Cervejarias uruguaias: Barbot Brew Pub

Como contamos no nosso post sobre um dia em Colônia del Sacramento, encontramos a Barbot sem querer. Quando programamos a ida ao Uruguai não estávamos pensando (nem procurando) qualquer cervejaria artesanal por lá. Mas para nossa sorte, tinha! 😀

Sorte nossa, cervejaria artesanal de sucesso!

Seguimos uma placa discreta na esquina da rua, que indicava a numeração e chegamos a um charmoso e aconchegante ambiente, onde perece ter sido uma casa, com aquecedor (vital para superar o frio que faz no local), lareira e ambientes independentes com TV (onde, no dia, assistimos ao jogo do Uruguai) para dar privacidade a grupos de amigos passageiros. Apesar do clima caseiro, logo nota-se a moderna estrutura, com qual conta esta cervejaria artesanal, logo atrás do balcão. Provamos oito cervejas disponíveis da casa (faltou uma da carta fixa que estava em falta) e amamos!

Estrutura muito boa e ambiente aconchegante!

O atendimento também foi muito bom e uma curiosidade: o que eles servem aos clientes com tira-gosto é pipoca! De tempos em tempos uma moça renovava a cestinha de pipoca na nossa mesa. Uma peculiaridade legal! Depois notamos que outros lugares fazem o mesmo e além da pipoca servem aquele clássico amendoim. 🙂

Bom espacinho, com a lareira nos fazendo o imenso favor de nos aquecer naquele frio arrasador!

A Barbot é a primeira cervejaria artesanal de Colônia del Sacramento. Não sabemos se existem outras na cidade (fica pra descobrirmos na próxima viagem), mas essa está de parabéns!

E vamos as cervejas:

Weizen, nosso estilo preferido, estava saborosa!

Scottish Ale, forte como o estilo pede, muito boa!

Sacramento Kölsch – Não somos os maiores fãs deste estilo, mas estava muito boa também

Marilyn Golden, uma Blond Ale deliciosa!

Mumbai India Pale Ale – IPA de respeito!

Burton Bitter – Ótima cerveja e a cor âmbar dá um ar foda pra cerveja! 😀

Dublin Stout, forte, mas sem ser muito amarga!

De Lobo Porter – Grãos torrados no máximo mas, pra quem gosta do estilo, muito bem feita!

Uma foto meio borrada do cardápio, mas só pra ilustrar! 😀

Quando visitar a cidade, faça um pit stop lá!

Fica a dica!