Sobre a madrasta e as cobranças com o enteado

Olá! Eu diria que esse assunto é contraditório e já te explico.

Muita (mas muita gente mesmo) adoooora falar que a madrasta se mete nas coisas do enteado e que os enteados não são filhos dela, que não entende porque não tem filhos e, por isso, deve guardar suas opiniões e talz.

Tá, beleza.

Agora, expliquem por que causa, motivo, razão ou circunstância as pessoas cobram da madrasta atitudes de mãe (Oi?) para com o enteado se ela não pode nem opinar?

Vamos entender essa confusão.

Quem cobra:

O marido/pai: Sim! Esta figura muitas vezes acha que pelo fato da mulher estar com ele tem o dever de acolher o filho dele como se fosse dela (Oi?). Se a madrasta não faz, ele fica indignado, magoado, acha o cúmulo do absurdo e fica cobrando/infernizando a cabeça da madrasta. O curioso é que muitos desses pais são os mesmos que não ouvem os conselhos da madrasta, falam para ela não se meter na educação dos enteados, que a madrasta não entende e blá, blá, blá…

Aqui fica o espaço para que os maridos com esse comportamento nos expliquem essa atitude contraditória.

Quem cobra:

A família do marido: Parece até piada mas, assim como o marido, a família ao mesmo tempo que acha que a madrasta não tem direito a nada, quer que a mesma segure os pepinos… Assim é mole, né?! #sqn

Citados os fatos, vamos às considerações:

1 – Tudo que é imposto não dá certo. Se a madrasta assumir essa parte maternal no cuidado com o enteado, tudo bem. Se ela não assumir, tudo bem também. Sabe por que? Não é filho dela! 😉

2 – As pessoas precisam se decidir. Quer dizer que a madrasta não pode opinar mas pode segurar os pepinos? Não faz sentido, né, gente? Ficamos combinados de que NÃO faz sentido, de uma vez por todas? Beleza? Beleza.

3 – Querido marido/pai. A madrasta não tem culpa se você teve um filho com uma pessoa (sendo essa pessoa uma praga ou não), se arrependeu e agora acha que a mãe certa para o seu filho seria a madrasta. Não há nada que possa ser mudado a respeito disso, ok?

4 – Queridas famílias, não se metam na vida da madrasta/marido/enteado. Se você não for capaz de ser produtivo, por favor, não se dê ao trabalho de querer atrapalhar, pois já é tudo muito complicado em muitos casos. O papel da família não é dificultar/infernizar a vida das pessoas. Controlem-se. Beijo. 😉

Afeto é um laço construído, não é algo que se impõe. Então, maridos e papais, não se casem novamente exigindo de suas esposas que assumam um papel que não é delas.

Tem muita madrasta que trata o enteado como filho? Tem, mas isso tem que ser uma opção dela e não uma imposição sua ou de quem quer que seja. Isso não termina bem.

Uma coisa importante e que muitos pais não se dão conta é de que a boa relação da madrasta com os enteados está diretamente ligada ao pai. Se o pai não apoia a madrasta, não incentiva que o filho tenha um vínculo com ela, não ensina o filho a respeitá-la, não adianta querer cobrar da mulher. A culpa é sua.

Mais uma vez digo que a conversa é uma boa solução para conflitos. Procure saber o que sua esposa sente em relação aos seus filhos. Talvez você consiga uma aproximação maior dos dois lados se entender o que está acontecendo.

Fica a dica!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s