1

Sobre a vida a dois: 7 dicas sobre as rotinas da casa

Não existe um exato guia de boas práticas sobre dividir o teto com alguém, mas certamente alguns detalhes podem fazer a diferença entre o sucesso e o completo fracasso. Viver junto é observar e compreender o que funciona ou não para cada situação. Nem sempre o que dá certo pra nós aqui será o ideal para outros casais, mas vamos falar um pouco de nós para que vocês reflitam. 🙂

Isso te lembra alguém, mesmo que de longe? Se sim, você precisa rever sua relação… – Charge do André Almeida – http://andrehq.wordpress.com/

Quando a gente se muda da casa dos pais passa pra nós a responsabilidade de administrar e sustentar uma casa. Tudo aquilo que (em alguns casos) aparecia “magicamente” feito, agora está por conta de vocês e isso pode ser o pior pesadelo de alguns casais. Se vocês não vão contratar uma diarista para manter a casa em ordem, é preciso chegar a alguns entendimentos sobre a manutenção da casa. Sobre isso, tenho algumas considerações a fazer.

1 – Não dá pra dividir tudo exatamente no meio a meio – O motivo? Cada pessoa tem habilidades e um ritmo diferente de fazer as coisas. Há ainda coisas que vocês precisarão aprender e aperfeiçoar e isso pode levar um tempinho.

2 – Não exija que o outro faça tudo exatamente como você faria – Aqui tô falando mais para as meninas mesmo. O motivo é que, pelo menos até a nossa geração, os homens ainda foram criados naquele pensamento de que trabalho doméstico é coisa de mulher e era muito comum ver as mães ensinando as filhas sobre as coisas da casa e não os filhos. Por isso alguns homens tem pouca ou nenhuma prática com serviços domésticos. Se você é capaz de limpar sua casa como uma perfeita faxineira e seu marido/namorado não, fique calma, ensine e não infernize. Mesmo assim, pode ser que ele não faça tudo exatamente como você faria, mas somos todos diferentes e você precisa aprender a lidar com isso. Se não for capaz de aceitar essa diferença, faça você mesma e não encha o saco. 😉

3 – Tenha momentos de ócio/lazer e permita que o outro tenha também – Gente, tem dia que eu só quero chegar em casa, sentar e brincar com o cachorro. Mas tem uma porrada de coisas em casa pra fazer. Tem dia que eu vou lá e faço, tem dia que eu ignoro tudo mesmo e foda-se. Não dá pra ficar na neura da super arrumação. Tem gente que se incomoda muito, eu me incomodo médio e mesmo com o incômodo, às vezes que não quero fazer nada mesmo.

As coisas andam mais rápido quando os dois param pra arrumar a casa? Sim. Mas isso não é primordial. Se você tem 20 minutos do seu tempo depois do trabalho faça algo para a manutenção da casa nesse momento. Se o outro está lendo coisa na internet, jogando ou olhando a rua pela janela, deixe.

Aqui em casa nós temos tempos diferentes de “estalos” para fazer as coisas. Às vezes, o Daniel me “convida” pra ir arrumar uma parada. Às vezes, sou eu quem vai lá e lembra que tem algo que precisa ser feito. Mas eu já percebi que os tempos são diferentes e eles precisam ser respeitados (Mas não vale usar isso e não fazer nada nunca).

4 – Se você vê uma grande necessidade de fazer algo naquele exato momento e pode fazer sozinha (o), vá lá e faça. – Simples assim.

5 – Respeite limitações, não malandragem – Reconhecer que alguém não faz as coisas tão rápido ou tão bem quanto você e se adaptar a isso é uma coisa. Outra completamente diferente é ver que tem alguém querendo levar vantagem usando a desculpa do “não sei” ou “não consigo”. Se isso estiver acontecendo e você se ligou, sugiro conversar.

6 – Elogie – Todo mundo gosta de elogio e faz muito bem a uma relação reconhecer pontos fortes do outro. 🙂

7 – Agradeça – Vocês não são empregados um do outro e mesmo que algumas coisas tenham se tornado automáticas, agradeça seu parceiro (a) por ter feito. Faz um bem danado.

Resumindo, viver com alguém não tem receita de bolo, mas tem “macetes” que você pega no dia-a-dia. 😉

Fica a dica!

Anúncios
2

5 coisas que Não achamos legais em Buenos Aires

Como os posts anteriores sobre nossa viagem a Buenos Aires podem comprovar, nós curtimos muito a estadia na cidade, mas como o mundo não é perfeito encontramos alguns hábitos dos hermanos que não achamos agradáveis. São coisas bem simples, nenhum problema irreparável, mas só pra pontuar:

1- Eles não recolhem as fezes dos cães: Antes de você começar a dizer que aqui também é assim, digo que não devemos achar uma coisa errada normal só porque os outros estão fazendo. Esta observação entrou na nossa lista pois achamos muito contrastante um cidade com boa limpeza não seguir o exemplo no recolhimento das fezes de animais. Lembramos também que isso foi observado em maior escala no Centro, onde ficamos hospedados e onde moram muitas pessoas que víamos diariamente passeando com seus cães pelas ruas da capital.

2 – Guimbas de cigarro: Mesmo princípio do item acima. Se há uma preocupação em jogar o lixo na lixeira, por que não ter o mesmo cuidado com o final do cigarro?

3 – Câmbio, câmbio, câmbio: O eterno falatório na Rua Florida anunciando casas de câmbio paralelas enquanto você tenta passear. Ficamos algum tempo com o mantra na cabeça… troço chato pra cacete. XD

4 – Malandragem: Tá, pode parar de reclamar que aqui também é cheio de malandro. Claro que tem malandro aqui, mas nós não curtimos esse “jeitinho” aqui nem em qualquer outro lugar.

5 – Pessoas tentando a todo custo te vender passeios para o Zoo e espetáculos de tango: Tá bom que é a forma como os caras ganham dinheiro, mas depois da 3ª vez que você recusa, já dá pra parar de insistir, né?

Bônus: A idolatração pelo Maradona até na TV. Gente, ele jogou muito e talz, mas já deu, né? O cara fala merda e fuma ao vivo no programa de esporte da Argentina no meio do estúdio, que nem um bicheiro. Ah, vá?!

Essa charge é antiga, mas será que vai valer a pena ver de novo? o_O

E você, já foi a Buenos Aires? Viu alguma situação ou hábito que não curtiu?  Conta pra gente nos comentários.

Se topar com alguma dessas situações não diga que não foi avisado! 😉

Fica a dica!

2

Casados Vs. Solteiros: O Grande Mito

O post do Dia do Solteiro me fez pensar sobre como os status são glamorizados, seja a solteirice ou relacionamento. Vejo tantos homens e mulheres casados ou em relacionamentos longos olhando para os solteiros como se fossem ganhadores da Mega Sena e vice-versa. Mas, e aí, qual é a melhor condição?

Na minha opinião, a melhor condição será sempre a que te faz feliz. Mas feliz de verdade, não aquilo que os outros cobram ou esperam de você. As pessoas parecem hoje em dia querer mudar o status de relacionamento por dois motivos:

1 – Porque seu meio social cobra direta ou indiretamente;

2 – Porque veem a realidade de alguém com muito glamour.

Pra quem acha que não, casados também vivem! ;)

Pra quem acha que não, casados também vivem! 😉

Alguns solteiros que conheço acham que só serão felizes se estiverem casados ou namorando e alguns casados acham que fizeram um mal negócio e que suas vidas seriam melhores se estivessem solteiros. A velha história da grama do vizinho mais verde que a nossa. O problema é que no lugar de viver e aproveitar o melhor de cada condição, as pessoas ficam presas num mantra mental jurando que suas vidas estão uma merda e que seria melhor de outro jeito (se realmente estiver, tem que mudar, mas é papo pra outro post).

À você, que é solteiro, posso dizer que o melhor a fazer é deixar as coisas acontecerem, conhecer gente, dar rumo na sua vida e se amar, muito antes de repetir todos os dias que precisa de alguém ao seu lado pra ser feliz. Se você acha que só será feliz com alguém ao seu lado, sinto te dizer: puro engano. É preciso, primeiro, saber ser feliz sozinho. Curta sua solteirice, pessoas aparecem de formas inusitadas e inesperadas. 😉

Muita gente pensa assim, e nem vamos entrar na discussão de gêneros! – Boa tirinha da Cibele Santos, no http://www.cibelesantos.com.br

À você, que é casado, digo que se está infeliz no seu casamento, tente organizar e resolver as coisas com quem você está, converse bastante. Se chegou a conclusão de que não dá pra resolver, é você quem vai decidir se quer continuar preso num relacionamento que não te faz feliz. Mas não vale só reclamar. Mova-se.

Se você está casado e está entediado porque pega um (a) cara/mulher só e acha que a vida dos solteiros a sua volta é uma eterna orgia, acredito que esteja vendo TV demais. ¬____¬

E finalmente, se você é casado (a) mas adora ficar tagarelando pros amigos que sua vida é chata, que o parceiro (a) te perturbam e blá, blá, blá… Mas não larga da pessoa, te digo: Vá procurar o que fazer. Se você tem o mínimo de consideração por quem está com você, não exponha essa pessoa sem necessidade aos outros. Você pode magoar quem você ama só sendo um babaca e porque gosta de ter assuntinho besta na roda de amigos.

Aos dois grupos posso dizer que existem pontos positivos e negativos em cada condição, assim como TUDO na vida. Só é preciso que você seja maduro e honesto consigo mesmo para viver bem as duas situações.

Fica a dica!

0

Degustação de Vinhos Beni di Batasiolo e o Clube de Compras Sam’s Club

O Sam’s Club é um clube de compras por atacado e varejo ligado ao mercado Wallmart. O mais próximo da nossa casa é o da Linha Amarela (próximo ao Norte Shopping) e como trata-se de um clube, somente sócios podem comprar por lá pagando uma taxa anual de R$ 60 (valor de 2014).

Na semana passada fomos a convite deles a uma degustação de vinhos que o Sam’s Club irá comercializar. Além do jabá, o evento serviu para que o enólogo Fernando Diniz – especialista em vinhos – nos desse algumas dicas de harmonização e acabamos conhecendo um pouco mais sobre este mundo. Não são garrafas super baratas mas os da Beni di Batasiolo, para ocasiões especiais, vale a pena o investimento.

Degustação bem organizadinha! 🙂

Ótimos queijos e vinhos! 😀

Fora o evento, o mais interessante desta dica é que o Sam’s Club é bem legal, principalmente porque encontramos lá uma boa relação de custo/benefício e marcas e produtos não disponíveis nos mercados brasileiros, pois eles são os importadores diretos! É muuuuuita marca maneira, de ótima qualidade! Até a marca deles, a Bakers and Chiefs é tranquila de comprar. Por exemplo, nós compramos o chocolate em pó deles, que é bem mais em conta que o da Nestlé e a ração pra cães, que super premium, mas tem um preço ótimo! 🙂

Para nós tem sido uma experiência válida.

Fica a dica!

0

Ouse Experimentar o Novo

Todos nós temos gostos e preferências que muitas vezes nos levam a fazer sempre as mesmas escolhas. Tudo bem com isso, é uma forma de proteção e conforto que todos nós temos sobre aquilo que nos traz algum prazer. É a certeza de que vai funcionar porque você já conhece.

Mas que tal deixar as certezas de lado em algum momento e apostar em algo novo? Pode ser algo radical ou simplesmente trocar o sabor da sua pizza – coisa que nós fizemos ontem, por exemplo. Não mudou drasticamente a vida de ninguém, nem a nossa, mas nos deu a oportunidade de sair do lugar comum da nossa tradicional calabresa e degustar um novo sabor. Podemos dizer que foi uma ótima escolha, a pizza estava uma delícia! 😉

Mude pequenas coisas como:

1 – Troque o caminho/meio de transporte que faz para ir ao trabalho, colégio ou faculdade;

2 – Beba um suco no lugar do refri;

3 – Mude o sabor da pizza ou da comida que sempre escolhe;

4 – Assista um gênero de filme diferente do que está acostumado;

5 – Conheça um novo autor e/ou uma nova banda.

Ouse desfrutar de uma nova experiência. Grandes mudanças muitas vezes começam com pequenos passos! 🙂

PS: Para quem ficou curioso, a pizza que pedimos ontem foi a de frango picante da Domino’s.

Bem gostosinha e realmente picante!

Fica a dica!

2

Relembre Momentos Bons

Acordei nostálgica hoje!

Esse sentimento me trouxe lembranças muito boas e parei algum tempo da minha manhã lembrando das coisas mais legais da minha adolescência (nessa hora lembro o quanto estou velha XD ).

A dica mais valiosa que eu poderia dar a alguém hoje é: Pare um pouco e relembre bons momentos da sua vida.

Gente, é muita numa imagem só! 😀

O que me levou de volta a esses tempos foi a música God Only Knows, do The Beach Boys, que é tema da série Big Love (que eu curtia bastante, por sinal). Agora, acompanhe o pensamento randômico:

1 – A música me levou a prestar atenção na bateria;

2 – Que me lembrou que eu estudei bateria na adolescência;

3 – Que me lembrou que eu queria ter uma banda;

4 – Que me lembrou o quanto eu amo Nirvana desde essa época;

5 – E me lembrou as tardes infinitas que eu passava com os meus amigos perdida nesses devaneios de adolescentes, que nem sempre se concretizam, mas que rendem muitas boas lembranças.

Sim, sou só um pouquinho louca. XD

Eu realmente amo a forma como música e cheiros (perfumes em geral) me reconectam ao meu passado. Reconecte-se também com suas boas lembranças, vem um sentimento de nostalgia boa! 🙂

E só pela zoeira, nostalgia daqui a alguns anos (mais pra internet americana, mas a piadinha vale):

Nostalgia-Esta-Geração

Fica a dica!

1

Levanta e Vai

Todos nós temos preguiça de começar, terminar ou dar continuidade a algo. Se algum de vocês não tem, fico feliz e admirada, mas a maioria das pessoas que conheço (e me incluo nisso) tem algo pendente e fica só enrolando pra dar um jeito na coisa.

Quantas vezes você disse que no dia seguinte começaria algo? E quantas vezes de fato o fez?

Pode ser com qualquer coisa: dieta, exercício, estudos, trabalho, relacionamento… Tudo vai só entrando numa fila eterna, coberta pelas nossas desculpas e dando mil motivos pra não sair de onde está.

Sim, nós também fazemos tudo isso com muita coisa, mas tá na hora de parar, né?

E aí, pensamos no “levanta e vai”.

– Tá pensando muito se vai fazer o exercício de hoje ou não, porque tá tarde, tá muito cedo, tá com fome, ETC? Levanta e vai fazer, sem pensar. Bota a roupa, o tênis, vai pra sua academia ou pracinha de costume e vai malhar.

– Não sabe se sai com aquele seu grupo de amigos, que te chamaram praquela balada legal, mas que você, se sentindo um velho sedentário, começa a lembrar do conforto do seu lar e da sua cama quentinha? Levanta e vai, sai, você pode ter certeza que é 90% de chance de diversão.

– Você está querendo começar aquele projeto da sua vida que sempre idealizou, mas sempre lembra de um empecilho, como o tempo, o dinheiro, a vida? Levanta e vai, sem pensar muito, deixa de comprar um perfume caro que seja, um jogo num mês, investe no seu sonho. O importante é começar, mesmo que a passos de formiga.

Este é um empurrãozinho para nós e queremos dividir com vocês. Não é nada grandioso, porque acreditamos que muitas mudanças e transformações na vida podem vir de pequenas atitudes também.

É claro que não podemos ser injustos. Fomos inspirados por outra frase muito boa mesmo de uma empresa de material esportivo muito conhecida: a Nike.

A frase é essa aí:

Ontem você disse amanhã. LEVANTA E VAI! 😉

É isso, levanta e vai, Just do It ou seja lá o que te servir como impulsionador, MAS VAI!

Fica a dica!