0

Coisas que as madrastas odeiam ouvir

Todo mundo tem aquelas coisas que soam nos ouvidos com unhas se arrastando num quadro negro (grrrr nervoso só de pensar), claro que com as madrastas não seria diferente. O terreno que a gente anda já é movediço por definição e tem umas coisinhas básicas que colocam os cabelos em pé. Pelo menos os meus…

comic_4

1 – Comparações – Coisa do demônio é querer comparar pessoas. Se você for madrasta então que o caldo entorna mesmo. Famílias do marido e marido devem ficar atentos para:

Não comparar a madrasta com a ex. Por motivos óbvios.

Não comparar o filho que a madrasta teve com o primeiro filho do cara. Apenas não façam isso.

2 – Você não é minha mãe / Você não é mãe do fulaninho – Essa tá no hall das coisas que mais odiamos escutar. Se liga.

Se foi dito pelo enteado, a vontade que dá é de responder: “Graças a Deus”. Mas somos adultas e sabemos que não podemos nos comportar dessa forma, não é mesmo? Você não é obrigada a ouvir esse tipo de má criação, então deve conversar com seu marido para que ele eduque o filho que colocou no mundo, pois esse é um comportamento que a criança tende a repetir com outros adultos que tentem lhe impor autoridade e isso é uma tremenda falta de educação dita a qualquer pessoa que seja.

Se você ouviu do seu marido ou de alguém da família dele que você não é a mãe do fulano, aí sim pode soltar um sonoro “Graças a Deus”uhauahaahauah Zoeira, é melhor não fazer isso (Eu faria, mas sabe aquela história do faço o que eu digo mas não faça o  que eu faço? É por aí…rs). Se algo desse tipo acontecer com você deixe claro para a pessoa que realmente você não é a mãe do ser em questão e por isso não se portará como tal nos momentos em que precisarem de alguém para olhar a criança, limpar bagunça ou qualquer outra responsabilidade que não condiz com alguém que ouviu tamanha grosseria.

3 – Que pena que eles terminaram – Tá aí uma das coisas mais desnecessárias em se dizer se você quer ter uma relação boa com a esposa do cara. Eu já ouvi isso e olha, nesse dia eu descobri que tenho mais educação do que eu imaginava.

4 – Quando você tiver seu filho, você vai entender… – Vá para o quinto dos infernos com essa afirmação seja lá quem a tenha proferido para você. Apenas ignore. Se tem alguém pensando em dizer isso para uma madrasta, não diga.

Deve ter uma coisa ou outra a mais que irritam, mas nem sempre dá pra lembrar (ainda bem). Se identificou com alguma coisa?

Fica a dica!

0

Para ser uma Madrasta tipo “Pinguim de Madagascar”

Você é uma madrasta estressada com tudo que considera errado na vida dos seus enteados e na forma como seu marido e a mamis das crianças os educam (ou não educam)?

Então pega lá um café e vamos falar sobre isso pra você ficar com a cuca fresca.

Você já falou com seu marido sobre educação, alimentação, higiene, hora de dormir e afins, a respeito do seu enteado e o bonitão continua achando que é tudo exagero seu, que você não entende porque não tem filhos e diz coisas como “‘tadinha da criança”?

Então chegou a hora de você ligar o mágico botão do “foda-se”!

Gastaram o Calvin e Haroldo com esse palavreado! Mas que ilustra bem o sentimento, ilustra!

Pergunta: Enteado não escova direito ou nem escova os dente?

Resposta: O problema é dele e dos pais dele. Se você já deu sua contribuição e tudo continua na mesma, não se preocupe, quem terá cáries não será você (ou seu filho (a), se você já tiver)! 🙂

Outra: Seu enteado não toma banho? Eca…

…Mas o problema é dele e dos pais. E se alguém da família do marido comentar que o fulaninho tá fedendo, lembre-se de dizer que o papi e mami da criança é que não se importam com isso.

Mais uma: Seu enteado é daquelas crianças que só comem porcaria e correm sério risco de ficarem obesas e com problemas sérios de saúde?

R: Bem, os responsáveis legais por ele são os pais, então deixe que eles decidam o que a criança vai comer, se vai comer ou fazer fotossíntese. Não é problema seu.

Ou seja: Sorria e acene. 😉

Apenas sorria e acene!

Quando gostamos de alguém, naturalmente nos importamos com essas pessoas, mas se em um caso como esses as pessoas não te ouvem e não acham importantes essas coisas, lave as mãos e vá cuidar do que realmente importa. Seus cabelos não podem embranquecer por algo que você não controla. 😉

Fica a dica!

0

Quando a Madrasta se desconecta: Motivos e o que fazer quando acontece

Existe um momento pelo qual algumas madrastas passam  que chamo de desconexão. A palavra já diz tudo. Isso acontece quando a madrasta se mantém afastadas dos assuntos ligados aos enteados e das coisas que os cercam.

Existem muito motivos que levam a essa fase, pois as madrastas vivem situações muito delicadas no trato com os filhos alheios. Para exemplificar vou citar alguns motivos clássicos:

1 – Alienação parental

Sim, a madrasta também sofre com isso, pois se a mãe da criança pratica toda a família do pai acaba envolvida de alguma forma e como a madrasta é quem está ao lado do pai sempre, acaba sendo “respingada” pela prática. A coisa piora quando os ataques e mentiras contados pela mãe são direcionados a madrasta.

2 – Pai que não educa

Pode ser pela criação diferente, porque o pai sente pena e culpa por não morar com o filho ou simplesmente porque tem preguiça de educar. Seja qual for o motivo, o pai que não educa seu filho acaba gerando muitos problemas, pois grande parte das madrastas que conheço reclama disso. O pai que não dá limites, não ensina a respeitar e nem mesmo dá a educação básica. E convenhamos, conviver com um ser humano mal educado é uó, se não é seu filho, então, fudeu. E não por implicância. Como não é filho da madrasta, ela fica muito limitada na hora de educar ou ajudar na educação dos enteados. Então se o pai não faz e a madrasta acha um absurdo, está gerado o problema.

3 – Criança que rejeita a madrasta

A maioria das vezes que isso acontece é porque o problema começou com o primeiro tópico que citei. Se a madrasta tenta educar e a criança não recebe educação dos pais, isso também pode fazer com que seja mal interpretada pelo enteado e taxada de chata.

Esses são alguns dos motivos mais comuns e que, depois de um tempo, fazem com que a própria madrasta não se interesse mais por nada que cerca a vida dos enteados. Não que os queira mal, mas já está cansada de dar murro em ponta de faca.

Se você é madrasta e isso está acontecendo com você saiba que você não é má, não é louca e provavelmente não deixou de amar seu marido e enteado (s), você pode simplesmente estar cansada e é perfeitamente normal devido as circunstâncias. Tente reconectar-se com o cuidado com o enteado. Não precisa assumir nada que não queira. Programe passeios ou até mesmo faça alguma coisa só você e a criança/adolescente. Com calma mesmo e sem se cobrar muito.

Com calma, paciência e amor, dá certo! 🙂

Se você é o marido/pai, entenda a madrasta. Leia os itens acima, analise como tem sido as coisas na rotina de vocês. Coloque-se no lugar da madrasta (e não contra ela) e tente também restabelecer essa ligação. Você é parte fundamental nisso.

Sempre recomendo uma conversa franca e respeitosa de ambas as partes como forma de solucionar problemas. Serve no relacionamento como casal e para casos assim também.

Fica a dica!

6

Tipos de madrasta

Carol: Pessoas, não entrem em pânico. Isso aqui não deve virar um blog de mimimi de madrastas, mas estamos levando em consideração um grande número de interessados pelos posts do dia da madrasta (que, por sinal, é só em Setembro!). Isso aconteceu muito perto do dia das mães e vem rendendo até agora, então acho que algumas madrastinhas estão por aqui e já que sou a representante da classe neste blog vou falar de algumas coisinhas e dar as dicas sobres os temas com os quais já tive experiência.

Como o título já sugere, vou falar de alguns tipos de madrastas que classifiquei ao longo desses quase cinco anos:

Evil Queen  ou Madrasta da Branca de Neve – Aquela que é má por ser má.  Esse grupo não é composto apenas por madrastas, deixemos a hipocrisia de lado e vamos assumir o fato de que mães e pais biológicos podem ser os maiores vilões na vida de seus filhos. Então termo destina-se a todos que tem comportamentos assim.

Madrasta ciumenta – É a madrasta que tem ciúme da criança. Gente, qual é a razão nesse mundo pra competir com crianças? Se o problema é o fato do seu marido/namorado/noivo ter um filho da relação passada, você tem duas opções: Supere isso ou saia já dessa vida de madrasta por que isso te fará infeliz, além das outras pessoas envolvidas.

Madrasta bem intencionada – Se você não se identificou com os tipo descritos acima, ufa, você está num ótimo caminho pra ter uma vida “madrastal” de paz. Acontece que a boa intenção tem lados bons e ruins. O bom é que você é disposta a ajudar, a participar da vida da criança na parte que lhe compete e isso torna as coisas mais fáceis. A parte ruim é que isso pode ser mal interpretado por quem está de fora ou pode em muitos casos ser desconsiderado pelo seu marido e o(a) filho(a) dele e isso pode magoar muito a madrasta. Neste caso avalie qual é o seu nível de comprometimento e o nível de aceitação e gratidão dos envolvidos e faça até onde é confortável pra você. Eu sei que fazendo o bem a pessoas tão próximas é inevitável a espera de reconhecimento, mas isso é de cada um e pode rolar ou não.

Madrasta equilibrada – Tá bom, equilíbrio é difícil em qualquer área da nossa vida, mas Deus e nós madrastas sabemos o quanto a dificuldade aumenta nessa nossa rotina.

Mas vamos lá, há esperança! Vou dar as dicas que tento seguir:

– Não se incomode com o que não merece;

– Crianças são crianças, e sim, elas são chatas. Todas nós já fomos chatas assim, nossos filhos são/serão chatos e isso faz parte… Se seus enteados são adolescentes e são chatos é praticamente uma redundância, por que vamos combinar, adolescentes podem ser um pé no saco. Não leve pro lado pessoal, eles são chatos com todo mundo; 😉

– Preocupe-se com a opinião de quem mais importa nessas situações, que na minha opinião é a do marido/noivo/namorado. Se seus sogros, cunhados e outros agregados da história tem x ou y impressão de você como madrasta, busque saber o que seu companheiro acha e não se importe muito com os outros pois… “os outros são somente os outros” e esses outros ~ poker face pra eles ~ é que são o inferno em muitos casos;

– Madrasta esperta não briga por tudo. Como uma amiga sempre diz: “Não bata palma pra louco dançar”. Em muitos casos sorria e acene no melhor estilo pinguim de Madagascar!

Bem, acho que a vida é mais fácil quando tentamos levá-la com mais suavidade, quando se trata de ser madrasta então… Aí é que tem ser zen mesmo. Mas ó, zen não quer dizer otária, tá?! 😉

Divagaremos mais sobre este e outros assuntos. Sintam-se a vontade pra comentar e dizer o que funciona ou não pra vocês.

Beijos, suas lindas!

Imagem daqui

Fica a dica!