0

Cervejarias do Rio: 19 Opções Exclusivamente Cariocas!

O cenário cervejeiro no Brasil teve um bom crescimento nos últimos anos e no Rio de Janeiro não foi diferente. É claro que ainda precisamos de mais cervejarias , mas temos alguns representantes respeitáveis neste mundo por aqui.

Coitado do cara, só queria fazer sua cervejinha em larga escala…

Ainda não visitamos todas as cervejarias mas já provamos alguns de seus rótulos. Segue uma lista para você conhecer e procurar a cerveja que mais gostar de cada um:

Fraga: Bebemos o chopp de trigo no Antiga Mercearia e Bar. Aprovamos! Infelizmente, não tem fábrica ou bar pra visitar, tem que procurar os lugares que recebem dela.

Antiga Mercearia e Bar: Falando nela, produz dois chopes ótimos um de trigo e um pilsen (que super recomendamos). Fica na Cobal do Humaitá, pertinho de Botafogo, com várias cervejas brasileiras e muito salgadinho e ingredientes para serem comprados por peso. Aconchegante.

Noi: Experimentamos apenas três dos sete que tem no site, mas já aprovamos! Falta atravessar a ponte ir conhecer o bar da fábrica lá em Niterói.

Röter: Lá de Barra do Piraí. Provamos a de trigo, a Pale Ale e a Summer Ale, que é ANIMAL (com uma edição especial para o restaurante Pipo, no Leblon). Daquelas pra você não passar a vida sem provar e que ficaria uma tarde inteira bebendo só ela!

Mistura Clássica: A Beatus Trippel está entre as nossas preferidas. Ela é de Volta Redonda, mas você pode dar um pulo no Shoping Nova América e conferir o quiosque que já tem uma boa variedade das MUITAS que essa cervejaria produz.

Ah, eles produzem também a Cerveja da Lapa – feita de acordo com a lei de pureza alemã e delicinha, diga-se de passagem – para o Lapa Café.

St. Gallen Conhecemos, bebemos e aprovamos praticamente todas. Faltam só algumas sazonais! 😉

Dona das marcas Therezópolis e Sul Americana (que possui uma ótima Pilsen). Tem uma “fábrica” aberta pra visitação, com bons restaurantes, lá em Teresópolis.

Three Monkeys Beer: Entrou na lista de cervejas que precisamos experimentar. A foto da Belgian Golden Ale, pelo menos, parece bonita!

Jeffrey: Encontrada mais em restaurantes e eventos, uma cerveja peculiarmente boa! As especiarias dão um gosto especial (!) a ela. Encontramos ela numa feira gastronômica que rolou lá na Lapa, demos nossas impressões neste post. Possuem uma distribuidora oficial no Humaitá.

Cidade Imperial: Lá de Petrópolis – chamada de “cervejaria do príncipe”, por fazer parte da família real que ainda vive na cidade, possui uma pilsen deliciosa! Fora as três em garrafa, que são muito boas, principalmente, a Helles!

Agora, eles tem um tour oficial, mas quando fomos, visitamos a fábrica MESMO! O técnico no local mostrou as cervejas sendo rotuladas a mão, bem artesanal mesmo. E ainda provamos o chope tirado da serpentina, na hora, ali. Perfeito.

Duas Cabeças: Ainda não tivemos a oportunidade de experimentar as três cervejas desta marca, mas uma com o nome de MaracujIPA chama a atenção! 🙂

Botto Bier: Vendida em lojas especializadas e no Botto Bar, de seu mestre cervejeiro Leonardo Botto.

Chopp Daserra: Melhor pilsen engarrafada que já provamos na vida! Cremosidade, sabor, cheiro, cor… tudo excelente! Falta acharmos aqui no Rio em algum local especializado, pois só a vimos lá em Teresópolis, numa distribuidora avulsa.

Boteco Salvação: Mais um pubzinho, onde rolam vários eventos legais e música ao vivo. Possui um chope próprio, amanteigado na medida certa. Fica em Botafogo.

Barão Bier: Dita primeira cervejaria de Nova Friburgo, mais uma que precisamos provar. É muita cerveja nesse mundo, meu Deus! O_O

Chopp Clássico: Fica lá em Triagem, bem perto do metrô e do CADEG. Sempre vemos o carro da entrega passando em frente a nossa casa, mas nunca conseguimos experimentar seus chopes, em especial, o de vinho! Só provamos chopes pavorosos de vinho, esperamos que este valha a pena!

Caborê: Fomos em Paraty pro Festival da Cachaça e não sabíamos desta cervejaria! Precisamos voltar pra provar (tanto a nova cerveja como as boas cachaças do local). 😉

Pe’Ahi: A “cerveja da onda”, uma Amber Ale bem gostosinha! Recomendamos ir no restaurante de mesmo nome, nem que seja apenas para prová-la. Tem unidades no Shopping Tijuca, na Barra e na Gávea.

Das grandes, para não falar que não mencionamos:

Bohemia: Vale a pena conhecer o tour, que conta a história da cerveja e das muitas marcas que passaram pelo Brasil. A sua cerveja de trigo vale pelo custo/benefício. A confraria tem um gosto todo especial, que vale muito seu investimento. E boa desculpa pra visitar Petrópolis.

Itaipava: Dá pra visitar a fábrica do Grupo Petrópolis mesmo e ver a produção em larga escala! Máquinas gigantescas, passando, limpando, rotulando e enchendo garrafas de um lado para o outro. Parece aqueles episódios de desenhos antigos, muito maneiro! Fora que, no final do tour, provamos os MELHORES CHOPES DE NOSSAS VIDAS!

E como é da Itaipava, pode até achar suspeita nossa opinião, mas te afirmo: Aqueles chopes tirados no final do tour não são os que vendem pro consumidor final, fato! O pilsen estava perfeito e o black era A PERFEIÇÃO SUPREMA! Dá água na boca só de lembrar a cremosidade daquele chope.

Eles possuem as marcas Weltenburger Kloster, Petra, Black Princess e a Lokal Bier. Ah, e adivinha onde que a cervejaria fica? XD

…Ufa, terminamos!

Conhece alguma cervejaria que deixamos de listar? Conte pra nós nos comentários.

E pra finalizar:

Vamos atrás de todas! 😀

Fica a dica!

Anúncios
4

Utilidades para Acampamento

Hoje nós daremos como dica uma lista de coisinhas que nos fizeram falta durante nossa estadia num camping, no Festival da Cachaça. Isso porque nós somos legais e queremos que você tenha conforto até no meio do mato. 😉

Coisas úteis para um acampamento:

– Papel higiênico:

Acredite, você sempre precisa. O camping oferece banheiros, mas não vimos nem a sombra desse item indispensável. Nós compramos um pacote numa vendinha na cidade, mas teria sido melhor e mais barato ter levado um rolo de casa.

– Lanterna:

Tem iluminação no camping? Tem. Mas não a cada metro e num lugar enfiado no mato, tudo fica mais escuro. Durante o dia é tudo lindo, claridade natural e felicidade, mas deixa chegar à noite pra você ver como faz falta uma mísera lanterna que seja. Por sorte o celular do Daniel tem uma e estava carregado. Foi o que nos salvou.

– Água:

Nós fomos pra um festival de cachaça e a última coisa que queríamos beber era água. Mas não tem jeito, você precisa, nem que seja pra aplacar a sede da ressaca (só para constar, não foi o nosso caso). Durante a viagem você sente sede; Quando sai pra bater perna e conhecer os lugares; Depois de comer algo salgado ou doce demais… Enfim, água é essencial e é melhor você comprar umas duas garrafas de 1l e 1/2 do que ficar pagando R$ 2 toda hora em 500ml.

– Comida:

Não estamos falando de arroz e feijão. Mas você pode levar pão e alguma coisa pra passar nele, por exemplo. Isso economiza muito na hora de comer, por que tudo é caro em uma cidade turística, até um simples café da manhã. Nós levamos biscoitos e toddynho, mas um pão de forma e/ou uma bisnaguinha teriam sido muito bem-vindos.

– Sanduicheira:

Se você tiver a intenção de levar pão e mais algo pra acompanhar, esse item pode ser algo bem legal. Hoje em dia os campings têm pontos de eletricidade próximos às barracas e você pode usar na hora de fazer seu sanduba.

– Extensão:

Ela é útil, ocupa pouquíssimo espaço e não pesa. Você vai garantir que seu celular fique carregado, um notebook ou qualquer outra quinquilharia eletrônica que você queira levar e precise de carga.

– Lona

Pode acontecer de chover quando você está num camping e aí, como faz? Se você levar uma lona, isso pode facilitar a proteção da barraca e do solo onde ela foi montada. Choveu um pouco enquanto estávamos acampando, nada preocupante, mas nos fez lembrar o quanto uma lona pode ser útil.

Se alguém se lembrar de mais algum item indispensável, ou que nos faça economizar uma graninha nas viagens, nos avise!

Fica a dica!

1

Festival da Cachaça, da Pinga, do Mé E da Aguardente em Paraty! Já dissemos que vai ter álcool? :D

Leitores etílicos do nosso coração (e os não etílicos também)!

É com muita felicidade (e com um pouco de atraso) que damos a vocês essa dica do 29º Festival da Cachaça, Cultura e Sabores de Paraty. Sim, um festival inteirinho para você provar o “mérrr” de vários tipos e tempo de envelhecimento. O evento acontece de 18 a 21 de agosto, em Areal do Pontal, Paraty.

Dizem que a cidade é linda (isso por que não conhecemos, então não dá pra opinar), com praias, cachoeiras, boa comida e muita história. Só por isso já dá uma mega vontade de ir e, somando-se o fato deste evento com “bons drink” estar rolando, fica ainda mais difícil não querer ir. Nós estamos aqui nos consumindo com esse pensamento. Mas recomendamos a todos, se tiverem oportunidade.

Como o festival já começa hoje, deve rolar certa dificuldade em conseguir pousadas com preços acessíveis. A melhor saída então pode ser um camping. Neste site você pode encontrar informações sobre a cidade, o evento, onde ficar, onde comer e outras informações que lhes podem ser úteis.

Além das bebidinhas, a programação inclui também shows.

OBS: Esta dica foi compartilhada conosco pela Marianna Albergaria e (posteriormente lembrada) pelo nosso amigo Luciano Lopes.

Fica a dica!