0

Cervejas do meu mundo afora: Petra Pilsen

Faz tempo que ela chegou ao mercado, mas só agora tivemos a oportunidade de experimentar.

Padrão Brasil. Nada mais, nada menos (Graças a Deus XD).

Esperávamos algo do estilo da Itaipava e graças a Deus foi diferente. A cerveja é boazinha, no estilo do que temos de comum por aqui, Brahma, Antártica, ETC. Boa praquela churrascada de final de semana, onde vale mais a quantidade do que a qualidade. 😉

Experimentem!

Fica a dica!

Anúncios
0

Cervejarias do Rio: 19 Opções Exclusivamente Cariocas!

O cenário cervejeiro no Brasil teve um bom crescimento nos últimos anos e no Rio de Janeiro não foi diferente. É claro que ainda precisamos de mais cervejarias , mas temos alguns representantes respeitáveis neste mundo por aqui.

Coitado do cara, só queria fazer sua cervejinha em larga escala…

Ainda não visitamos todas as cervejarias mas já provamos alguns de seus rótulos. Segue uma lista para você conhecer e procurar a cerveja que mais gostar de cada um:

Fraga: Bebemos o chopp de trigo no Antiga Mercearia e Bar. Aprovamos! Infelizmente, não tem fábrica ou bar pra visitar, tem que procurar os lugares que recebem dela.

Antiga Mercearia e Bar: Falando nela, produz dois chopes ótimos um de trigo e um pilsen (que super recomendamos). Fica na Cobal do Humaitá, pertinho de Botafogo, com várias cervejas brasileiras e muito salgadinho e ingredientes para serem comprados por peso. Aconchegante.

Noi: Experimentamos apenas três dos sete que tem no site, mas já aprovamos! Falta atravessar a ponte ir conhecer o bar da fábrica lá em Niterói.

Röter: Lá de Barra do Piraí. Provamos a de trigo, a Pale Ale e a Summer Ale, que é ANIMAL (com uma edição especial para o restaurante Pipo, no Leblon). Daquelas pra você não passar a vida sem provar e que ficaria uma tarde inteira bebendo só ela!

Mistura Clássica: A Beatus Trippel está entre as nossas preferidas. Ela é de Volta Redonda, mas você pode dar um pulo no Shoping Nova América e conferir o quiosque que já tem uma boa variedade das MUITAS que essa cervejaria produz.

Ah, eles produzem também a Cerveja da Lapa – feita de acordo com a lei de pureza alemã e delicinha, diga-se de passagem – para o Lapa Café.

St. Gallen Conhecemos, bebemos e aprovamos praticamente todas. Faltam só algumas sazonais! 😉

Dona das marcas Therezópolis e Sul Americana (que possui uma ótima Pilsen). Tem uma “fábrica” aberta pra visitação, com bons restaurantes, lá em Teresópolis.

Three Monkeys Beer: Entrou na lista de cervejas que precisamos experimentar. A foto da Belgian Golden Ale, pelo menos, parece bonita!

Jeffrey: Encontrada mais em restaurantes e eventos, uma cerveja peculiarmente boa! As especiarias dão um gosto especial (!) a ela. Encontramos ela numa feira gastronômica que rolou lá na Lapa, demos nossas impressões neste post. Possuem uma distribuidora oficial no Humaitá.

Cidade Imperial: Lá de Petrópolis – chamada de “cervejaria do príncipe”, por fazer parte da família real que ainda vive na cidade, possui uma pilsen deliciosa! Fora as três em garrafa, que são muito boas, principalmente, a Helles!

Agora, eles tem um tour oficial, mas quando fomos, visitamos a fábrica MESMO! O técnico no local mostrou as cervejas sendo rotuladas a mão, bem artesanal mesmo. E ainda provamos o chope tirado da serpentina, na hora, ali. Perfeito.

Duas Cabeças: Ainda não tivemos a oportunidade de experimentar as três cervejas desta marca, mas uma com o nome de MaracujIPA chama a atenção! 🙂

Botto Bier: Vendida em lojas especializadas e no Botto Bar, de seu mestre cervejeiro Leonardo Botto.

Chopp Daserra: Melhor pilsen engarrafada que já provamos na vida! Cremosidade, sabor, cheiro, cor… tudo excelente! Falta acharmos aqui no Rio em algum local especializado, pois só a vimos lá em Teresópolis, numa distribuidora avulsa.

Boteco Salvação: Mais um pubzinho, onde rolam vários eventos legais e música ao vivo. Possui um chope próprio, amanteigado na medida certa. Fica em Botafogo.

Barão Bier: Dita primeira cervejaria de Nova Friburgo, mais uma que precisamos provar. É muita cerveja nesse mundo, meu Deus! O_O

Chopp Clássico: Fica lá em Triagem, bem perto do metrô e do CADEG. Sempre vemos o carro da entrega passando em frente a nossa casa, mas nunca conseguimos experimentar seus chopes, em especial, o de vinho! Só provamos chopes pavorosos de vinho, esperamos que este valha a pena!

Caborê: Fomos em Paraty pro Festival da Cachaça e não sabíamos desta cervejaria! Precisamos voltar pra provar (tanto a nova cerveja como as boas cachaças do local). 😉

Pe’Ahi: A “cerveja da onda”, uma Amber Ale bem gostosinha! Recomendamos ir no restaurante de mesmo nome, nem que seja apenas para prová-la. Tem unidades no Shopping Tijuca, na Barra e na Gávea.

Das grandes, para não falar que não mencionamos:

Bohemia: Vale a pena conhecer o tour, que conta a história da cerveja e das muitas marcas que passaram pelo Brasil. A sua cerveja de trigo vale pelo custo/benefício. A confraria tem um gosto todo especial, que vale muito seu investimento. E boa desculpa pra visitar Petrópolis.

Itaipava: Dá pra visitar a fábrica do Grupo Petrópolis mesmo e ver a produção em larga escala! Máquinas gigantescas, passando, limpando, rotulando e enchendo garrafas de um lado para o outro. Parece aqueles episódios de desenhos antigos, muito maneiro! Fora que, no final do tour, provamos os MELHORES CHOPES DE NOSSAS VIDAS!

E como é da Itaipava, pode até achar suspeita nossa opinião, mas te afirmo: Aqueles chopes tirados no final do tour não são os que vendem pro consumidor final, fato! O pilsen estava perfeito e o black era A PERFEIÇÃO SUPREMA! Dá água na boca só de lembrar a cremosidade daquele chope.

Eles possuem as marcas Weltenburger Kloster, Petra, Black Princess e a Lokal Bier. Ah, e adivinha onde que a cervejaria fica? XD

…Ufa, terminamos!

Conhece alguma cervejaria que deixamos de listar? Conte pra nós nos comentários.

E pra finalizar:

Vamos atrás de todas! 😀

Fica a dica!

1

Locais para visitar: Cervejaria Itaipava

Nossa ida a Petrópolis foi planejada por que queríamos descansar e também pelo fato da cidade abrigar três cervejarias. No post de hoje vamos falar da primeira que visitamos na cidade: Itaipava.

Quem nos conhece bem sabe que não somos consumidores da cerveja Itaipava, por questão de que ela é ruim pra caralho gosto mesmo. Temos outras preferências. Mas somos cervejeiros dispostos a conhecer e apreciar novas experiências. Com esse pensamento (e pela agenda apertada pra visitar tudo que queriamos) colocamos a cervejaria Itaipava no primeiro dia do nosso roteiro. Agendamos a visita e após chegar à cidade, fazer check in no hotel e comer fomos para Itaipava, distrito de Petrópolis, mais ou menos 1 hora de ônibus com um transitosinho chato.

Chegamos à fábrica e já pudemos ver a dimensão da coisa toda: Larga escala. Lugar enorme e dezenas de funcionários circulando. Nós esperamos o início do Bier Tour com um outro casal que estava por lá. Em pouco tempo um funcionário veio nos buscar e nos deu a identificação para acesso à fábrica. Assistimos a um vídeo institucional sobre o Grupo Petrópolis, que controla a Itaipava e os demais produtos.

O Bier Tour acontece no alto, através de passarelas que vemos toda a fábrica e é possível acompanhar toda a produção do início ao fim. Podemos afirmar que é uma experiência completa e diferente do que conhecíamos até então. Voltamos a ser criança fácil olhando pra todas aquelas máquinas.

A fábrica oferece equipamento de segurança para que seja possível fazer o tour e somos o tempo todo acompanhados por monitores que tiram dúvidas sobre a produção, envasamento, distribuição, higiene e o que mais aparecer da curiosidade das pessoas. É possível experimentar a matéria prima, fazer muitas fotos e ao final degustar o chopp.

Essa é a cereja do bolo. No fim de tudo, podemos dizer que experimentamos os chopps MAIS GOSTOSOS DE NOSSAS VIDAS. Não sabemos se é a água, o lugar, se eles fazem diferente só pro tour, macumba, mandinga, reza forte, não sabemos mesmo! Mas tanto o escuro quanto o chope pilsen da degustação. tirada diretamente da choppeira são extremamente deliciosos.

Ficamos até curiosos pra provar de novo aqui no Rio. Sério, não esperávamos mesmo que fossem tão bons. Ponto pra Itaipava!

Durante a degustação ainda rola mais um papo e aí conhecemos os muitos produtos do grupo, que inclui refrigerantes, energéticos, vodkas e cervejas especiais. Sim, eles produzem além da tradicional pilsen. Há uma boutique da marca onde podemos comprá-las and  produtos que vão de chaveiros e abridores de garrafas a casacos e guarda-sol. Saímos de lá com quatro garrafa espertas que aparecerão por aqui em breve.

O Bier Tour da Itaipava foi uma excelente experiência para quebrar preconceitos, conhecer o grupo Petrópolis, marca pouco divulgada aqui no município, saber como funciona uma fábrica de cerveja em larga escala e conhecer mais sobre a marca. Recomendamos muito.

OBS: Por questões de segurança menores de 18 anos não podem fazer o Bier Tour.

Facebook e Twitter da marca.

Endereço: Rua Trajano de Paula Filho, 199 – Pedro do Rio – Petrópolis, RJ
Tel.: (24) 2103-8000

Para efetuar a visita basta entrar em contato, marcar e aparecer porque (ao menos, por enquanto) é 0800! 😉

Fica a dica!

3

Visite Petrópolis: Pertinho do município do Rio, muita cultura, cervejarias e uma cidade linda

Olá!

Aproveitamos o recente feriado de São Jorge pra tirar um merecido descanso. Roteiro bem aqui pertinho do Rio e com um orçamento super possível. Unindo a proximidade, comodidade ($$) e o incrível fato da cidade abrigar três cervejarias, escolhemos Petrópolis!. 🙂

Subir a serra já é uma delícia pela mudança de ares por si só. A viagem partiu da Rodoviária Novo Rio e levou apenas 1h até o desembarque no Terminal Leonel Brizola, na entrada de Petrópolis. A rodoviária de lá, assim como o resto da cidade, é de uma limpeza impressionante para quem convive com a porcariada diária do RJ. Depois de mais uns 20 minutos em um coletivo urbano, chegamos ao Centro, onde ficamos hospedados.

Umas conferidas no mapa aqui e ali, um pedido de informação (e uma moça que ofereceu informação sem pedirmos, mas ajudou pra caramba) e chegamos ao hotel Serra da Estrela (que é muito bom, super recomendamos). Depois do check in feito, nós demos início de fato a nossa viagenzinha por essa cidade que nos encantou.

Nos três dias que passamos lá, ficou a impressão da simplicidade e de um ritmo de vida muito mais calmo do que o nosso, mas que desfruta de muita comodidade moderna e está a apenas uma 1h do Rio.

No Sábado comemos na Casa do Alemão (delícia!), visitamos uma exposição bem legal sobre a ditadura no palácio Rio Negro e a cervejaria da Itaipava (e no final do dia fomos num ótimo rodízio de petiscos em Itaipava mesmo);

No Domingo, fomos no palácio de cristal (que não é feito de cristal e isso acaba com os sonhos de uma criança de ver um palácio de cristal de verdade, mas tudo bem, é bonito de qualquer jeito) e a cervejaria da Bohemia;

Na segunda fomos em alguns museus e lugares legais perto da Praça da Liberdade e da Praça 14 Bis, como o relógio de flores com um lugar pertinho pra compra chocolate artesanal SUPER gostosos, vimos a casa de Santos Dumont de longe porque ficamos de mão vaquisse e não quisemos pagar pra entrar, o museu imperial, o palácio amarelo, a linda catedral de São Pedro de Alcântara e a última cervejaria do tour, a da Cidade Imperial.

Infelizmente não conseguimos ir no museu de cera porque era caro a entrada e a gente preferiu comprar cerveja com aquele dinheiro a ver modelos de cera, fazer comprinhas nos famosos polos de moda: a Feirinha de Itaipava, de Bingen (que apelidamos carinhosamente e foneticamente de Bindjen e ficamos falando num tom engraçado a viagem inteira), e na Rua Teresa, porque quando fomos estava tudo fechado… ficou para a próxima visita.

Algumas coisas que nos chamaram muito a atenção na cidade são algumas políticas adotadas pela prefeitura que tornam as coisas mais agradáveis, como não ter ambulantes a cada esquina (que são oficialmente proibidos, por sinal! #FicaadicaproEduardoPaes), a limpeza e a conservação dos espaços. Como nem tudo são flores, achamos a cidade mal sinalizada, seja para algumas atrações ou mesmo identificar o nome das ruas.

Tem também o fato de muitas construções irregulares estarem subindo mata a dentro pelos bairros (Faveladas do Rio Fellings). Frisamos que esse comentário não tem só cunho estético ou organizacional, ele é também pra pensar que essas construções podem ser vítimas da próxima tragédia de verão, como já vimos e lamentamos.

O saldo da viagem foi muito positivo. A cidade é charmosa, respira a nossa história e está muito perto do povo norte fluminense.

Ah, e a parte cervejeira virá nos próximos dias, com um post para cada cervejaria visitada!

Visite Petrópolis!

Site oficial da cidade de Petrópolis aqui e wiki sobre a cidade aqui;

Site do hotel que ficamos, bem legal e arrumadinho, aqui;

Site com a moda de Bindjen aqui, da Feirinha de Itaipava aqui e das váaaarias lojas da Rua Teresa aqui;

Sites com algumas páginas de dicas e notícias da cidade imperial, como o Destino Petrópolis, o Net Petrópolis, o Acontece em Petrópolis e do jornal Tribuna de Petrópolis.

Fica a dica!