0

Leia para uma criança em 2014

Como já publicamos aqui em outras ocasiões, a Fundação Itaú Criança tem uma campanha para que adultos leiam para crianças. Leitura é um hábito muito importante na vida de todos, pelo menos é o que acreditamos.

São mais dois livrinhos que parecem ser super legais!

Aproveite a campanha, clique aqui ou na imagem acima para acessar o site e pedir os livros gratuitamente e desenvolva esse hábito com uma criança próxima a você. Você também pode pedir os livros e doar! 🙂

Fica a dica!

0

Café da manhã com Anete, Nariz de Chiclete!

Neste fim de semana a grande autora Ronize Aline dos livros infantis O Dono da Lua e o mais recente Anete, Nariz de Chiclete convida para participar de um café da manhã literário no Leblon. Dá uma olhada nas informações:

Molinho de chegar e ainda pode dar aquele passeio na Lagoa depois que sabemos que você está devendo! 🙂

OBS: O evento não inclui consumação grátis. 😉

Fica a dica!

0

5 livros para tornar o Dia do Leitor mais feliz! :)

Olá, leitores. Parabéns pelo seu dia e nosso também! 😉

Para comemorar a data listamos alguns de nossos livros preferidos como dica para vocês:

1- A Menina que Roubava Livros

Autor: Markus Zusak – Título original: The Book Thief

Chegará aos cinemas em breve em uma adaptação que promete (pelo menos pelo trailer) fidelidade a obra literária.

2- Lugar Nenhum

Autor: Neil Gaiman – Título original: Neverwhere

O livro foi escrito a partir da série de TV produzida pela BBC e exibida em seis episódios (que deram um trabalho do diabo pra encontrar, pois essa série é antiga pacas). Mais recentemente, teve uma adaptação para quadrinhos (lançada aqui na revista Vertigo, da Panini) e para rádio, que esteve disponível online na BBC Radio 4.

Teve bons nomes conhecidos, como James McAvoy (X-Men: Primeira Classe), Natalie Dormer (Game of thrones), O foda Benedict Cumberbatch da série inglesa Sherlock e também o KHAAAAAAAANNN!!, Sir Christopher Lee (Saruman, o Branco de TLotR AND Count Dooku de Star Wars), George Harris, conhecido dos filmes de Harry Potter como Kingsley Shacklebolt, AND Anthony Stewart Head, eterno Giles de Buffy – The Vampire Slayer. Tem mais alguns atores, mas os mais conhecidos são esses.

Neverwhere-radio

3- O Cortiço

Autor: Aluísio Azevedo

Virou história em quadrinho ao lado de outros clássicos da literatura brasileira, boa história brasileira. Aquela leitura básica de Ensino Médio que vale a pena recordar.

4- Saga Harry Potter

Autora: J.K. Rowling

Ok, não é um livro só, mas todos os sete livros são ótimos, foram adaptados e viraram sucesso no cinema! Merece estar na lista! 😀

5 – Saga Artemis Fowl

Artemis_Fowl_pbk_coverAutor: Eoin Colfer

Ok, também não é um livro específico, é toda uma saga mas, cara, que saga foda! Uma pena que a adaptação para quadrinhos tem um desenho horroroso e o filme tá uma enrolação que só pra sair (acredita, Disney, ACREDITA!), mas podemos afirmar que todos os livros dessa saga são ótimos (ressalvo apenas pelo último que ainda não temos e não lemos, O Último Guardião). Mistura de Tecnologia e mundo mágico que deu super certo por conta de um protagonista mega inteligente e inclinado a praticar ações criminosas em prol do bem estar do mundo… e de si mesmo. 😉

Aproveite o dia e conheça novas leituras, ou relembre as que você mais curte! Particularmente, o último livro de Artemis Fowl tá bem na nossa vista como próxima aquisição.

Fica a dica!

2

Um programa legal para Sábado: Encontrar a autora de O Dono da Lua!

Para quem está em dúvida sobre um programa com as crianças neste final de semana, não precisa mais quebrar a cabeça. A autora do livro O Dono da Lua, Ronize Aline, convida todos para uma tarde autógrafo e histórias, neste sábado, dia 20/04 a partir das 14h. O evento acontecerá na brinquedoteca do Centro Universitário Carioca (ou UniCarioca), na unidade do Rio  Comprido.

A autora vai ler a história e sortear um livro para a criançada e os demais presentes!

Galera, embora seja um evento para que os adultos de plantão levem suas crianças, será uma excelente oportunidade para que todos mantenham acesa a fantasia e a ternura contida na infância através de uma história tão linda!

Site do livro aqui, Facebook aqui.

Está a venda na Saraiva também, só conferir aqui.

Endereço da UniCarioca do Rio Comprido: Av. Paulo de Frontin, 568 – Rio Comprido, Rio de Janeiro – RJ – Telefone:(21) 2563-1919 – Ou você pode ver no Google Maps aqui.

Fica a dica!

0

Eis que um dos maiores compositores da MPB ganha (mais um) livro!

Conhece Aldir Blanc?

Bem, com certeza você já escutou uma música composta por ele. Ou você acha que criar junto a João Bosco O Bêbado e o Equilibrista é pouca coisa (só pra citar uma das muitas parceiras)? 😉

Daniel o encontrou uma vez na noite da Tijuca bebendo com os amigos, disse que ele era super tranquilo. O cara é um gênio e Tijucano de coração.

Enfim, a dica vai pelo lançamento do livro Aldir Blanc – Resposta ao tempo: vida e letras, de Luiz Fernando Viana, pela editora Casa da Palavra, na próxima quarta-feira, às 19h, na livraria Argumento, lá no Leblon. Dá uma olhada no flyer:

Esta é uma boa oportunidade pra ler mais sobre um dos grandes da música brasileira. Se não o conhece, torna-se uma ótima porta de entrada.

Aproveita e vê um clipezinho bonito da música que mencionamos lá no começo que sabemos que você não escuta a um tempão, na bela voz de Elis Regina:

Wiki sobre o compositor e escritor aqui.

Matéria ótima no Folha de S. Paulo sobre o lançamento do livro e muito da vida dele aqui.

Fica a dica!

2

Leitura pra ficar de olho: Tenho Duas Casas

Olá!

Hoje temos uma ótima dica que pode abrir muitas portas para uma conversa saudável.

Rapidamente ambientando: Quem nos conhece sabe que o Daniel tem um filho de seis anos de uma relação anterior. Pois bem, nunca haviamos conversado com a criança sobre o fato de morar em duas casas, duas regras em cada casa, dois conjuntos de roupa, enfim, dois “tudo”.

Navegando pela internet, descobrimos o livro Tenho Duas Casas da autora Cristina Von, com ilustrações de Graça Lima.

Capa do Livro Tenho Duas Casas

Vamos falar um pouquinho agora mas nos acompanhe pois o final é bom.

So, compramos o livro, demorou um pouquinho pra chegar mas chegou, pegamos na livraria da Travessa. Levamos pra casa e lemos antes, lógico, para podermos ver se cabia no nosso contexto e se poderiamos ler com ele tranquilamente. Lemos, achamos tranquilo, aguardamos até o final de semana seguinte, onde o pegamos para passar conosco.

Após um diazinho agitado, paramos em casa, botamos ele pra tomar banho e comer uma jantinha experta, depois botamos uma musiquinha baixinha e sentamos no sofá da sala para mostrar e ler o livro com a nossa criança.

Qual foi a nossa surpresa quando começamos a ler as situações do livro a criança começou a esboçar um choro contido. Esperando algo do tipo, mas mesmo assim surpresos, perguntamos se ele queria continuar e ele, se mostrando forte ou apenas por pura curiosidade, disse que sim. Lemos até praticamente metade de suas 32 páginas, mas ele já estava um pouco choroso e cansado do dia, então, paramos e levamos ele até a cama. Lá, nós três nos demos um abraço super forte e, a esta altura, amigo, todos estávamos com lágrimas nos olhos. Falamos a ele e a nós mesmos que tudo ficaria bem, a criança logo adormeceu.

Sentamos nós, na sala, meio entorpecidos com a situação toda. Foi quando percebemos pela primeira vez que, além de duas casas e dois “tudo”, também nunca haviamos conversado com a criança sobre ter pais separados e como isso afeta a vida de todos e, principalmente, a dele.

Dormimos posteriormente, todos acordamos e após o café da manhã perguntamos se ele queria continuar a ler o livro, que disse que sim. Sentamos e continuamos a ler de onde paramos até o final.

O interessante é que justamente da onde continuamos foi a parte que começa a explicar como tudo fica bem, que é normal ter duas casas, que é bom ter seus brinquedos e roupas tanto na casa da mãe quanto na do pai, que existem diferentes modelosde família, com pais juntos, separados, sem pai, sem mãe, morando com os avós, com padrasto e madrasta, sobre novos irmãozinhos ou irmãzinhas e como eles não vão tirar o espaço dele… Enfim, aborda muita coisa, de uma maneira bem lúdica, com ótimas artes para os pimpolhos absorverem da melhor maneira possível.

Perguntamos se tinha alguma dúvida quando terminamos, ele disse que não. Ok, esperamos. Passou um tempinho, não deu outra: a criança soltou um singelo “Tem família que não tem pais?” – Pronto. O diálogo foi aberto. Missão cumprida.

A dica é: Se você vive uma situação de ter um filho com pais separados, este livro é bela maneira de abordar assuntos relacionados ao tema.

Fica também a sinopse roubada do site da Americanas:

“A autora leva para a sala de aula a discussão de um tema atual e extremamente importante para a convivência: o surgimento de novas estruturas familiares na sociedade. Com texto e ilustrações leves e agradáveis, este livro propicia ao leitor o entendimento sobre um dado novo, a quebra de paradigmas, a identificação com os personagens, o respeito pela história de si e do outro e pelas diferenças. Contém atividades sugeridas para sala de aula:

– A história como ponto de partida para a quebra de padrões e a compreensão de novas possibilidades.

– A partir de perguntas e respostas sobre a história e também de relatos de histórias pessoais – próprias ou de terceiros -, levar o leitor a refletir e a encarar com naturalidade situações como:

+ Separação dos pais;

+ Novos arranjos familiares;

+ Filhos de pais separados;

+ Inclusão de novos membros;

+ Novos tipos de convivência.

– Se a criança narrar uma experiência pessoal, a atividade faz com que ela vivencie um processo de criação (ao organizar o relato) e de expressão (ao narrar a história), que a auxiliam a lidar com situações com as quais convive. Graça Lima ilustra o texto com muita criatividade, dando um toque especial a este livro encantador.”

Blog da autora aqui e da ilustradora aqui.

Entrevista bem legal com a ilustradora no blog Abraços Dobrados aqui.

Sugestões para serem trabalhadas em sala de aula aqui.

Post no blog Não é a Mamãe da “boadrasta” Bianca Spessirits aqui.

Fica a dica!

0

Leitura pra ficar de olho: Aviador

Olá!

Esse mês dei uma engatada (ui!) legal num livro de um escritor que aprendi a gostar no final da minha adolecência: Eoin Colfer, autor da muito boa série Artemis Fowl, ao qual recomendo fortemente pra quem é fã de Harry Potter e afins.

Confira a sinopse e a capa desta bela obra – Aviador (Airman, 2008):

“Conor nasceu para voar. Ou, mais precisamente, nasceu voando. Em uma era de descobertas e invenções, muitos sonhavam em voar, mas para ele isto era mais do que um sonho: era seu destino. Em uma noite sombria, uma traição cruel e astuciosa destrói sua vida e rouba seu destino. Agora, Connor precisa ser o primeiro a conseguir alçar voo, para salvar a família e corrigir um terrível engano.”

Já li a série Artemis Fowl praticamente inteira (só esperando sair o último lançamento em português), o solo A lista dos Desejos e sua adição a série O Guia do Mochileiro das Galáxias com o livro E Tem Outra Coisa…, são todos ótimos! O cara escreve muito bem, narra uma boa aventura com maestria! E com Aviador não foi diferente.

Conor Broekhart é uma criança super inteligente (Lembrei de Artemis na hora – Seria ele um ascendente?) no final do século 19, onde o pano de fundo encaixa perfeitamente com um ritmo que beira o steampunk. Diferente de suas obras anteriores, não há uma gota de mágica nem de sobrenatural, apenas física, ciência e boas lutas de espadas (e, acredite, isso é bom)!

Aventura do início ao fim, o livro começa com uma pegada interessante onde achamos ser apenas uma história de um garoto com um forte desejo de voar, mas que sofre uma reviravolta dramática em sua vida e literalmente vê seus sonhos e esperanças voarem pelo ar (não podia perder essa, né).

Não vou fazer nenhum spoiler, mas o ritmo acelerado do livro (que é muito bem trabalhado) me deu a impressão que em certos momentos o autor precisou cortar certas partes ou, ao menos, poderia detalhar mais algumas delas. Não sei se não queria fazer um livro muito grande (Afinal, termina com 448 páginas), mas em dois momentos do livro senti uma passagem de tempo muito rápida, uma perto do final e outra no próprio final, onde esperava uma cena mais dramática e épica, mas não se engane, continua sendo um ótimo final, que facilmente poderia ter um gancho para uma continuação.

Enfim, curti muito, devorei-o como a muito tempo não fazia com um livro! Recomendo fortemente!

Links e sites relacionados:

Site oficial do autor aqui e sobre o livro supracitado aqui.

Wiki americano sobre Eoin Colfer aqui e sobre Aviador aqui.

Resenhas do site Sobre Livros aqui e do blog Geeks and Comics aqui.

Fica a dica!